Extensão Sala de Artes: COFFEE ART: ARTE COM CAFÉ!

COFFEE ART: ARTE COM CAFÉ!


Monalisa em Café, por Karen Eland

Usando apenas café espresso, artistas transformam manchas de café no papel em arte. A técnica de pintura ganhou o nome de Coffee Art e já é representativa na Europa, nos Estados Unidos e inclusive no Brasil. 

 O Pensador com Café, por Karen Eland
  
Para se obter a “tinta” é preparado um café sem açúcar e a tonalidade que é dada ao desenho depende da moagem do grão: forte ou fraco. Karen Eland é adepta dessa arte. A talentosa ilustradora e pintora de Tulsa, Oklahoma, é conhecida por suas réplicas de obras de arte famosas.

Noite Estrelada no Café em Arles, por Karen Eland
 
Outro artista de destaque é Dirceu Veiga, brasileiro, natural de Curitiba-PR, e começou o seu trabalho em 1994, ilustrando livros e apostilas didáticas de ensino fundamental e médio para diversas editoras.
 
Em 2007 começou as primeiras experiências com coffee art, passando várias horas em cafeterias, testando as cores obtidas através de diversos tipos de torras e grãos, até chegar no resultado que desejava. “Certa vez notei que uma cafeteria da qual sou frequentador em Curitiba tinha um espaço bacana para exposições. Pensando em fazer um trabalho que tivesse a ver com aquele universo, tive a ideia de pintar utilizando apenas café. Fiz uns testes e deu certo”, recorda.


O método de trabalho é simples: observa as pessoas, a decoração do local e, entre um gole de café e outro, faz os seus rascunhos e esboços, dando depois início ao preenchimento das tonalidade do desenho, nunca esquecendo as formas, expressões, sombras e movimentos.


Veiga ressalta que a técnica só dá certo com café expresso. “Ele dá mais consistência. O papel também precisa ter gramatura maior e tratamento químico especial, pois a ´tinta´ é orgânica. Para conseguir uma variação de tons, eu pinto, espero secar, pinto de novo, até alcançar o resultado”, explica Veiga.


Outra condição fundamental para o trabalho do artista é a qualidade do grão. “Prefiro os do sul de Minas, porque dependendo do grão não se obtém uma paleta muito grande. Também precisa ser de torra média”.
O resultado final, além da bela pintura feita em café, é o cheiro que fica impregnado na folha. O mesmo aroma que apreciamos daquele cafezinho feito na hora.
Bon appétit!!!


Quer saber mais? Acesse http://www.cafenopapel.com.br/

6 Comente aqui!:

Dualys F.Souza disse...

Muito massa!!!
Amei!!!

Allison disse...

É professora muito legal essa jeito de pintar mas, mesmo assim eu axo que o café do Espirito Santo é melhor!!!!!!

Juliana Godin disse...

KKKKKKKKKKKK
Adorei Allison! rsrsrs
Mas são do Sul de Minas! KKKKKKK

Loreh disse...

legal esse ultimo da mulher dentro da xicara!!
mto massa o post!

polyana disse...

gostei d+ é muito diferente legal

Débora Nogueira disse...

adoreiii Juliana!
apesar de não apreciar o sabor do café sempre uso o pó para fazer tinta natural com meus alunos no ateliê de artes... rsrs
Gostei principalmente porque é diferente, foge do convencional. Adoro isso!

Postar um comentário

Fala que eu te escuto!

 
Edição Juliana Godin Distribuído por Extensão Sala de Artes